Sobre o "Plano de Emergência Social"

"Consideramos que o PES é insuficiente e ineficaz a prazo, porque não articula, de forma estratégica, com um plano de prevenção destas situações e, sobretudo, de Desenvolvimento Sustentável e Integrado da sociedade portuguesa. A saída efectiva das situações de pobreza e exclusão social implica processos de emancipação e autonomização das pessoas envolvidas, ou seja, de des-envolvimento, que não são compatíveis com a priorização de respostas imediatas aos problemas de privação, as quais, sendo necessárias, não são suficientes."

(Excerto do Documento, com versão integral em PDF)