Por uma PAC que promova a coesão social e territorial e a igualdade entre mulheres e homens

"Está em curso uma importante reforma da PAC que, do ponto de vista analítico, reconhece a necessidade de uma PAC mais justa, que promova uma repartição mais equilibrada das ajudas directas ao rendimento, mais respeitadora do ambiente, que preveja mecanismos para reduzir os riscos, que conceda maiores incentivos à investigação e à experimentação, que reconheça a necessidade de apoios específicos para a agricultura familiar e a necessidade de reduzir a burocracia nos processos de candidatura a ajudas comunitárias.
Contudo, não nos parece que os objectivos preconizados tenham expressão nas medidas que estão a ser propostas. O abandono do conceito do “histórico” no cálculo das ajudas directas não está a ser substituído por critérios que permitam a justa repartição dos apoios, a ajuda forfetária prevista para a pequena agricultura familiar é claramente insuficiente, o conceito de agricultor activo pode deixar de fora um vasto conjunto de agricultores."

(Excerto do Documento, com versão integral em PDF)