Carrinha da Cidadania foi ao Ingote (Diário de Coimbra, 22/2/2017)

Carrinha da cidadania estacionou na Escola do Ingote e seguiu viagem com um puzzle sobre Direitos Humanos, criado pelos alunos do Planalto

“Façam o favor de entrar na carrinha da cidadania”. O convite partiu de Sandra Silvestre, da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local (Animar), e os meninos e meninas da Escola Básica do Ingote não hesitaram, até porque, nos últimos dias, têm dedicado várias horas a aprender um pouco mais sobre os direitos e deveres de cada um e até criaram um puzzle sobre os Direitos Humanos, que andará pelo país como um dos muitos materiais didácticos que equipam a viatura do projecto “Cidadania em Portugal”.
E por falar em direitos, a Núria, de 9 anos, sabe perfeitamente que tem tanto direito a jogar à bola quanto os seus colegas meninos. «Mas, eles não me deixam», reclama, destacando um dos pontos que considera mais importantes na Declaração Universal dos Direitos do Homem: o direito a ter uma família.
Parar. Pensar. Agir. Estas são as palavras-chave deste roteiro, que está a levar a cidadania sobre rodas um pouco por todo o país e ontem teve a sua paragem em Coimbra.
Já a pequena Nadine sonha em ter no bairro «um parque para brincar». O que existe «está todo estragado», lamenta a menina, com Sandra Silvestre a aconselhar a comunidade escolar a alertar a União de Freguesias para esta necessidade.
Promovida pelo Governo e a Animar, a iniciativa tem envolvido várias entidades e projectos, a nível local, como o Trampolim ou a UMAR, em Coimbra, que levaram aos mais pequenos uma peça de teatro de fantoches sobre Direitos Humanos, em que a princesa, tal como a Núria, sonhava em jogar à bola e fazer tantas outras coisas que não apenas preparar-se para casar e ter filhos.
A este propósito, Carla Mendes, do Trampolim, aproveitou para perguntar aos alunos se sabem o que é igualdade de género. Entre uma resposta e outra, percebe-se que permanecem algumas dúvidas quando uns consideram que «os homens não podem dançar, porque as mulheres têm mais jeito», enquanto outros não têm dúvidas em afirmar a igualdade entre todos, seja numa partida de futebol ou num passo de dança.
Depois de ter iniciado viagem a 24 de Outubro - Dia Mundial para a Igualdade - a carrinha da cidadania “transporta” um «projecto em crescimento», sublinhou Sandra Silvestre, destacando também a importância do Roteiro do Diálogo Inter-Religioso, que decorre paralelamente e que hoje prevê um debate no Conservatório de Coimbra.

Patrícia Isabel Silva