Roteiro "Cidadania em Portugal" passou pelo Alentejo Litoral (O Leme, 15/5/2017)

Projeto quer pôr comunidades a pensar a cidadania

O Roteiro Cidadania em Portugal, um projeto pioneiro que está a percorrer o país, de norte a sul, até ao próximo mês de julho, despede-se este sábado do Alentejo litoral onde desenvolveu um conjunto de atividades.

Santiago do Cacém, Sines, Grândola, Azinheira dos Barros e Lousal, foram as localidades do Alentejo Litoral que receberam entre 2 e 6 de maio o Roteiro Cidadania em Portugal, uma parceria do Governo e da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local (ANIMAR), que visa colocar as redes e comunidades locais a discutir os temas da cidadania, da participação cívica, o combate às desigualdades ou as discriminações.
Desde outubro do ano passado altura em que o projeto foi lançado –, a carrinha do programa já percorreu 175 locais e envolveu mais de 10 mil pessoas de todas as idades sublinhou a Secretária de Estado para a Igualdade e Cidadania, Catarina Marcelino.
No Alentejo Litoral, foram escolhidos os temas da cidadania ativa, a igualdade de género, a igualdade no emprego e a conciliação familiar e profissional.
"Convidamos as pessoas a pensar a cidadania nos territórios onde estão inseridas, manifestando as suas necessidades a nível locar, explicou Vanda Godinho, animadora cultural.
O roteiro arrancou em Santiago do Cacém, no dia 2 de maio, nas instalações da ADI - Associação de Desenvolvimento do Litoral Alentejano, com uma série de workshops relacionados com as questões laborais, dinamizados por várias entidades como a UGT Setúbal, a ADL, o IEFP entre outras.
As ações dirigidas a beneficiários do projeto CLDS LOCALidades (da ADL) ficaram a conhecer mais detalhes sobre o Roteiro Cidadania em Portugal.
O grupo inicial foi dividido e a equipa do Roteiro ficou a cargo da dinamização do tema "Conciliação da vida profissional com a vida pessoal". A apresentação foi feita com origamis “quantos queres?” e de seguida os/as participantes refletiram sobre a utilização do seu próprio tempo, através do exercício "Relógio Real, Relógio Ideal". A partir desta reflexão individual promoveu-se uma reflexão em grupo.
Foram ainda apresentados dois excertos de entrevistas efetuadas no âmbito do inquérito "Os usos do tempo dos homens e mulheres em Portugal".
Após o almoço, foi tempo de conversar com os/as intervenientes da manhã e técnicos/as da CPCJ de Santiago do Cacem, ADL e representantes da associação de pais, onde se debateu as desigualdades de géneros, as suas possíveis causas, situações mais evidentes, disparidades salariais e caminhos a seguir para inverter nestas situações.
O segundo dia de atividades, em Sines, arrancou na escola EB 2,3 Vasco da Gama e foi promovida em parceria com o CLDS Viver+ Sines - SER (Sines Em Rede) e o Agrupamento de Escolas de Sines.
Os alunos dos 8º e 9º anos foram convidados a visitar a carrinha do projeto, devidamente equipada com recursos lúdico-pedagógicos, para apoiar a dinamização de atividades propostas pelas redes locais e a participar num momento de reflexão e debate sobre discriminação e discurso do ódio através da visualização de vídeos relacionados com o ódio e o preconceito, seguindo-se um debate sobre as causas e efeitos. "Levámos os jovens a pensar nas soluções que cada um individualmente e coletivamente pode fazer pelos seus territórios", acrescentou Vanda Godinho. À tarde foi a vez da Associação Caboverdiana de Sines e Santiago do Cacém (ACSS) receber um debate, que contou com a participação de 12 formandas do curso de costura, sobre as questões dos papéis de género e as perspetivas futuras e sonhos de cada uma.
De seguida, em parceria com o CLDS Viver+ Sines Espaço Rumos da Espiga CRI, realizou-se uma dinâmica onde vários grupos de crianças desenharam o que é cidadania.
Os utilizadores da ludoteca da ACSS fizeram também uma visita á carrinha onde exploraram a riqueza da diversidade cultural em todas as sociedades.
O roteiro passou ainda pela Escola Básica D. Jorge de Lencastre, em Grândola, com a realização de uma ação de sensibilização sobre a cidadania ativa e a igualdade de género, e Azinheira dos Barros e Lousal, onde se realizou uma caminhada intitulada 'Trilhos para a Cidadania e Igualdade'

Helga Nobre