header mobile

Cidadania, desigualdades(s) e prevenção da violência (Jornal da Bairrada, 2/11/2018)

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos

Mais de duas centenas de jovens participaram no debate sobre “Cidadania, Desigualdades(s) e Prevenção da Violência”, organizado pelo Município de Cantanhede e pelo Núcleo de Apoio às Vítimas de Violência da Associação Fernão Mendes Pinto, no âmbito do roteiro Cidadania em Portugal que a ANIMAR-Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local tem vido a promover localmente.

A iniciativa decorreu a 24 de outubro, no salão do Centro Social e Paroquial de São Pedro, com a presença da presidente da Câmara, Helena Teodósio, e de representantes de diversas entidades com intervenção, designadamente o vereador da Ação Social, Adérito Machado, vereador da Ação Social e presidente do Conselho Local de Ação Social, Mónica Travessa, Procuradora-Adjunta Ministério Público do Tribunal de Cantanhede, Anabela Mendes, Sargento-ajudante e Chefe do Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas do Comando Territorial da GNR de Coimbra.

Presentes estiveram ainda Luísa Rego, representante da ANIMAR, Marta Santos, Coordenadora do Núcleo de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica de Cantanhede, bem como a jornalista Teresa Campos e o fotógrafo José Carlos Carvalho, da revista VISÃO, autores da exposição “Aqui Morreu uma Mulher”, que a partir de 25 de outubro pode ser vista na Praça Marquês de Marialva, depois de ter estado patente ao público nos Claustros do Paços do Concelho e no Centro Social e Paroquial de S. Pedro.

A presidente da Câmara, Helena Teodósio, congratulou-se com a presença “de tantos jovens nesta sessão” e, referindo-se ao desafio que convoca as novas gerações para “a construção de uma sociedade em que os problemas da violência, da discriminação e outros sejam diluídos na afirmação dos mais elevados valores e princípios da dignidade humana”, afirmou que “os agentes públicos estão confrontados com a exigência de acionarem respostas para todos para a violência reiterada em contextos em que por vezes não é fácil intervir, a violência de género, a violência contra idosos, a violência no namoro, enfim, todos os tipos de violência”.

A este propósito, a líder do executivo sublinhou que o Município de Cantanhede é associado da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, que de resto faz parte do Conselho Local de Ação Social. Outra iniciativa da autarquia neste âmbito é o núcleo de apoio à vítima de violência doméstica que está a funcionar na Casa Francisco Pinto, por iniciativa da Câmara e da Associação Fernão Mendes Pinto, um projeto que segundo Helena Teodósio “constitui uma resposta para um problema que queremos eliminar”.

 

Recomendamos

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade