header mobile

Políticas locais e acção colectiva dos imigrantes da Europa de Leste

0 5

Votação deste artigo: 0 Votos
Título: Políticas locais e acção colectiva dos imigrantes da Europa de Leste
Autor: Elsa Dionísio
Edição: ACIDI
Lisboa, 2009

 

 

 

Uma das principais dimensões do mundo contemporâneo traduz-se numa maior mobilidade de fluxos migratórios internacionais e na emergência de novos países de destino destes movimentos populacionais. Portugal é hoje um dos países de destino desses movimentos migratórios, que nele procuram melhores condições de vida e a concretização das suas aspirações. É, pois, neste novo quadro a que temos vindo a assistir, ao longo da última década, caracterizado pela entrada e fixação de um número significativo de indivíduos oriundos de países da Europa de Leste, que este movimento se apresenta, actualmente, enquanto uma das maiores comunidades imigrantes a residir em Portugal.
Neste trabalho pretendeu-se examinar a natureza das políticas locais e a acção colectiva dos imigrantes da Europa de Leste, no concelho de Lisboa. A análise dos canais institucionais locais no que respeita a integração dos imigrantes sublinha o carácter reactivo e esporádico das medidas adoptadas. Por outro lado, os resultados da pesquisa apontam para o importante papel desempenhado pelas instituições da sociedade civil, maioritariamente as Organizações Não-Governamentais, as quais, perante a inoperacionalidade dos poderes institucionais locais, se tornam elas próprias novos actores sociais activos nos processos de integração dos imigrantes e mesmo à regulação dos fluxos migratórios.
No que diz respeito ao movimento associativo dos imigrantes da Europa de Leste, o estudo sublinha a importância de organismos do poder central e das Organizações Não-Governamentais em estimular e apoiar a mobilização e desenvolvimento deste movimento associativo imigrante. Acrescenta-se ainda que independentemente dos objectivos das associações imigrantes, estas têm vindo a assumir um papel fundamental, nos processos de adaptação e de integração. Contudo, a actuação destas organizações, com vista à participação cívica e ao exercício da cidadania, é configurada por um fraco reconhecimento das associações enquanto parceiros sociais nos processos de decisão política, assim como pelo maior ou menor poder de representatividade dos seus líderes.

PoliticasLocaisImigrantesEuropaLeste

 

 

 

 

 

 

Recomendamos

Financiado Por

financiadores02financiadores03financiadores04

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade