header mobile

ANIMAR faz 25 anos

Votação deste artigo: 0 Votos
 

 

À REDE ANIMAR,

Car@s associad@s, parceir@s e amig@s,

A 17 de setembro de 1993 foi realizada em  Aljustrel a 1.º assembleia de fundadores e registada em cartório, a Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local, a 1ª rede de organizações de Desenvolvimento em Portugal, seguindo-se um ano depois, em Santarém, a MANIFesta – Assembleia e Feira do Desenvolvimento Local que juntou centenas de agentes de desenvolvimento no debate e promoção do movimento do Desenvolvimento Local. Somos uma Rede de capacitação entre pares e de inovação social e societária com 25 anos, somos a organização que representa a diversidade de organizações, de agentes e de contextos de atuação, que defendem um modelo de desenvolvimento construído com base na participação, na igualdade e na solidariedade horizontal para uma maior coesão social.

Após 25 anos de trabalho, a Rede Animar reúne um património ímpar, de saberes documentados, de projetos e iniciativas com sucesso, que tanto contribuíram para o desenvolvimento territorial e para uma maior coesão social. Somos reconhecidos pela causa e pela história, mas também, pela capacidade única de atuação para a transformação social, o que nos permitiu e permite, atuar em parceria com o estado e com a sociedade civil. Trabalhamos para uma sociedade mais justa, equitativa e sustentável, admitindo que, a Animar do futuro, tem em consideração o valor que acrescentou no passado, pelo qual se destaca no presente e por aquele que acrescentará no futuro.

O legado de uma rede de 25 anos é um património imaterial de todos nós. A Animar assume a responsabilidade de o potenciar, sendo que, acreditamos estar a contribuir para cooperações mais eficientes e convergentes das organizações da economia social, e assim, com maior capacidade de reforçar as suas propostas junto da administração central e local. Teremos assim, de debater e clarificar o modelo de desenvolvimento local, de ser capazes de melhorar e reforçar um enquadramento jurídico que reconheça um estatuto, com base em princípios de atuação que tanto se tem afirmado como essenciais para o desenvolvimento dos territórios. Este percurso, terá de se consolidar também a montante, numa política integrada de educação para o desenvolvimento local, que promova uma cidadania mas ativa e participativa das comunidades nos processos de desenvolvimento, e que para isso, sejam fortalecidos e gerados novos mecanismos para uma maior democracia participativa e para a coesão social e territorial.

Somos cada vez mais organizações e agentes a afirmar o Desenvolvimento Local em  Portugal, estamos com os nossos parceiros da economia social e solidária e em estruturas representativas do estado, a contribuir para um desenvolvimento sustentado, justo e equitativo. Estamos gratos por esta responsabilidade, iremos continuar o legado com todos e todas vós!

Marco Domingues (Presidente de Direção)

Lisboa, 17 de Setembro de 2017

Redes e Parcerias

Parceiro1 CasesParceiro2 RipessParceiro3 CNESParceiro4 ComunaCarta Portuguesa para a Diversidade

Financiado Por

financiadores01financiadores02financiadores03financiadores04