O mercado de trabalho e o trabalho temporário: um estudo de caso

O mercado de trabalho e o trabalho temporário: um estudo de caso

Autores/as

Tânia Filipa de Almeida Lopes

Sinopse

No panorama Económico Mundial verifica-se cada vez mais mudanças socioeconómicas com influência sobre o funcionamento do mercado. Nos últimos anos, o mercado de trabalho tem passado por várias transformações, desde processos de inovação tecnológica, alterações nos processos produtivos, mudanças das estruturas organizacionais e nos postos de trabalho, assim como na Gestão de Recursos Humanos (GRH).

Editora

ISCTE

Sobre

A evolução das empresas é simultânea com a adaptação das necessidades da sociedade e, compreendemos que actualmente poucos são os que mantém o primeiro emprego até à idade de reforma contrariando a realidade das gerações anteriores. Muito por fruto da crise subprime, as empresas mais antigas tiveram que se organizar para superar e recuperar as dificuldades, estas alterações passaram pela externalização ou subcontratação.

O objectivo das empresas nesta subcontratação é aumentar a vantagem competitiva, tendo como maior interesse a diminuição de custos fixos por longo período. Logo, faz sentido as empresas recorreram a especialistas de Recursos Humanos (RH), que apresentam preços competitivos e rapidez na contracção, aumentando a eficácia na empresa e contratar os colaboradores necessários em épocas de maior procura, sem ter o comprometimento com os mesmos em épocas de menor procura.

Numa economia mundializada, com a predominância da lógica financeira e da rendibilidade a curto prazo, existe uma pressão incessante para a máxima flexibilização do factor trabalho (Kovács, 2004). Em resposta a esta realidade as empresas têm vindo a alterar o seu funcionamento, nomeadamente através do recurso a novas formas de contratação de trabalhadores, recorrendo cada vez mais a formas mais maleáveis de trabalho, caindo por terra a velha máxima de “trabalho para a vida”. É sob este contexto que emerge o Trabalho Temporário (TT).

Após anos de crise em Portugal, o tema desemprego muito despertou a nossa sociedade. Era recorrente surgirem notícias que no título figurasse palavras como “trabalho precário” ou “trabalho temporário” em Portugal, com o objectivo de alertar e combater a precaridade laboral. O tema proposto para investigação no projecto de dissertação traduz a questão permanente: As empresas de Trabalho Temporário têm impacto no mercado de trabalho em Portugal?

ou seja;

  • A necessidade de recrutamento é da empresa qual as motivações para recorrer ao trabalhador temporário?
  • Quais as vantagens e desvantagens deste tipo de recrutamento?
  • As alterações económicas do país podem estar relacionadas com aumento ou diminuição de trabalhadores temporários?

A dissertação está dividida em sete capítulos e foi desenvolvida de forma a contribuir para o estudo do mercado de trabalho mais especificamente do trabalho temporário.

No segundo e terceiro capítulo é efectuado o enquadramento do tema com base na revisão bibliográfica mais relevante sobre mercado de trabalho e trabalho temporário. No capítulo seguinte, o quarto, verificamos quais os benefícios deste tipo de contratação perante a legislação aplicada, os benefícios para a empresa bem como os benefícios para os trabalhadores.

Posteriormente, no capítulo quinto, é descrito a metodologia de investigação aplicado no estudo, apresentado e justiçando a utilização de determinados métodos. De seguida é apresenta-se os resultados e efetua-se a respectiva análise.

No último capítulo são apresentados os resultados e, consequentemente, as conclusões mais relevantes.

(in Introdução)

Data de edição

Outubro, 2017

N.º de páginas

90

Suporte/Formato

Publicação

Um recurso da entidade

ISCTE - ISCTE - Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa

Classificado em

Cidadania e ParticipaçãoExclusão Social e Luta Contra a PobrezaLaboral/SindicalEconomia e GestãoGeral